Pra que dia é?

A gestação gera muita curiosidade, não só nos pais, mas em todos que convivem com eles. É um turbilhão de expectativas e curiosidades, primeiro quer se ouvir o coração, depois saber o sexo, saber com quem se parece e finalmente, que dia ele chega. Com a quantidade de tecnologias que temos hoje, é fácil matar a curiosidade antes dos nove meses.

Por essa razão, pode ser que para maioria das pessoas saber o dia certo do nascimento do Arthur seja quase uma regra. Bastou eu descobrir que estava grávida para a perguntinha acima aparecer em meio as conversas. Agora que me aproximo do último mês, tenho que responder quase que diariamente.

“Mas Carol, essa perguntinha é tão inofensiva, eu só queria saber, afinal, não é comum saber o dia que o bebê vai nascer?”. Pois é gente, é tão comum, tão recorrente, que penso que a maioria das pessoas pergunta sem refletir muito sobre o assunto. Acontece que essa perguntinha é bem mais complicada do que parece, e ela é o retrato de uma realidade bem triste. Essa perguntinha, merece esse selo aqui ó:

148448c87card-02.jpg
Pra começar: não, pra mim, saber o dia que o Arthur vai nascer não está nos planos, nem sequer está ao meu alcance. Sim, existe a famosa data provável do parto, mas ela não é certeira, só indica quando o bebê completa as 40 semanas, e mesmo assim, pode estar errada. A questão é que essa pergunta não é tão simples e inocente, ela é comum por ser equivalente ao número excessivo de partos cesáreos desnecessários e eletivos que ocorrem todos os dias no Brasil. Afinal, quem aí não teve uma amiga, uma tia, uma prima, conhecida, que sabia dizer a hora e o dia do parto e tava lá toda linda e loira chegando faceirinha no hospital?

É fácil, não precisa ir muito longe. São tantas cesáreas marcadas com meses de antecedência que realmente fica fácil de entender a aberração que me torno cada vez que digo que não tenho data, porque meu parto será natural, tudo ao tempo do Arthur.

“Como assim, não é cesárea? Acho melhor marcar hein, se organizar melhor, imagina a correria”, “Parto natural? Que bicho é esse fia?”, “Uma vizinha teve parto normal, teve hemorragia, o bebê nasceu roxinho roxinho, tinha passado da hora pobrezinho”, “Mas vaginal? Cuida amiga, dizem que fica tudo largo lá embaixo, por isso tem tanta mãe solteira por aí”.

Pera lá suas linda! Eu achava que a gente nascia pela perereca e vocês tão dizendo que eu tô hippie. Só porque eu quero sentir meu filho chegar, ajudar ele a chegar, pegar ele no colo imediatamente, só porque eu quero tá acordadinha linda e ativa nesse momento, não quero ninguém me chamando de mãezinha, mandando eu ficar de um jeito que eu não quero e me cortando sem necessidade? Só porque quero o melhor pro meu bebê, que ele esteja totalmente pronto pra começar sua vidinha aqui fora? Poxa vida!

beautiful water birth photo

Queria entender em que momento nascer por via abdominal, em um processo cirúrgico, com dia e hora marcada, virou também sinônimo de parto normal. Não só isso, queria entender, quando foi que o normal passou a significar estar presa no “sorinho”, receber anestesia e fazer força deitada. Quando foi que essa quantidade enorme de mulheres passou a ser considerada incapaz de parir, ou ainda, quando foi que essa quantidade enorme de bebês começou a chegar ao mundo com tanto “defeito”. É bebê que passa da hora, mãe pequena demais, não tem quadril suficiente, o bebê é muito grande. “Vixi não vai dar”. São tantas as razões e desculpas infundadas que me pergunto porque exatamente, até agora, ninguém questionou se a nossa raça não tá mesmo em extinção. Porque até onde eu sabia, nascer sempre foi um processo natural, fisiológico e comum na raça humana, como é que fazia antes dessa parafernália toda? Sempre teve médico no mundo? Tô confusa, ajuda eu?

Pois é, dá pra contar nos dedos o apoio que recebo quando falo do assunto. Acho até engraçado, justamente porque quem começa o assunto parto, em geral, não sou eu, é a pessoa que vem me perguntar, mas quando eu decido falar sobre como será o meu, e dou continuidade ao assunto explicando meus motivos fazendo os questionamentos acima, e por fim, declaro que cesárea só se for realmente necessária, me torno desinteressante, maluca, hippie, e por vezes, irresponsável.

Então pra acabar logo com isso, espero que a gente se entenda daqui pra frente e pare de fazer a perguntinha pra outras mamães por aí. O Arthurzinho tá chegando, na hora dele, mamãe e papai tem uma equipe maravilhosa que conta com um obstetra, uma enfermeira e uma doula, todos engajados na humanização do parto, e que nos dão muita confiança e a certeza de que farão o possível pra que os nossos desejos pra esse momento único sejam ouvidos e atendidos, e claro, quando esse dia finalmente chegar, a gente promete que avisa todo mundo. Por enquanto, ele ainda tá bem feliz no parque aquático da mamãe, esperando que ninguém apresse ele pra sair de lá, beleza?

Anúncios

8 thoughts on “Pra que dia é?

  1. Oi Carol.
    Não sei se vai lembrar, mas eu estava no encontro sábado, do grupo Nascer Sorrindo. Sentei do teu lado, logo que cheguei, mas depois saí.
    Então, te vi lá na foto que a Zezé marcou e acabei achando eu blog. Tinha gostado de ti lá no dia, te achei simpática logo assim de cara, com uma energia boa hehe
    Tenho um blog também. Li todo o teu e me identifiquei muito contigo e a tua história. Tenho 23 ano também, moro junto com meu namorado há quase 2 anos e meu maior desejo, sonho, é ser mãe. Lendo teu blog me deparei com as mesmas dúvidas que vocês, sobre como se sustentar, sustentar uma casa e ainda um filho. É por isso mesmo que ainda não temos o nosso bebê, estamos esperando “o momento certo” (que só pra constar, não aguento mais esperar).

    Sobre esse assunto do parto, é tão comum todo mundo marcar um dia pro filho nasce, que se tu diz que vai esperar o bebê escolher, que vai ser um parto natural, é taxada de louca, maluca, irresponsável e hippie mesmo, é o que mais escuto por aqui. Infelizmente essa é a realidade do Brasil, mas eu tenho tanta esperança que mude, por isso tento sempre levar minhas amigas pro caminho de um parto natural, nem sempre é fácil, mas eu to nessa luta.

    To te seguindo agora e vou acompanhar a chegada do Arthur e saber como vocês estão se virando.
    Quem sabe nos vemos nos próximos encontros hehe
    Beijos

    • Oi Nicole! Lembro de ti sim! Que bom que tu gostou do blog, é mais um lugar que encontrei pra falar como eu me sinto nesse período, por isso fico feliz quando descubro visitas como a tua, assim sei que tem pessoas passando por situações parecidas com a minha. Estou desde já torcendo pela tua gravidez, é raro ver outras gurias da nossa idade com esse desejo maternal tão latente, então quando encontro alguém fico louca de faceira haha. Vou visitar teu blog e te acompanhar também.

      Obrigada pela visita e pelo comentário tão carinhoso!

      Beijoo

  2. É eu também sempre quis o parto normal, não o natural porque não tinha Doula nem nada. Mas quis muito sentir as dores das contrações, deixar que ele viesse na hora que deveria vir. Meu GO me deixou bem livre para escolher e eu escolhi o PN. Tentei, ah como eu tentei… A bolsa estourou às 03:30 da madrugada e começaram as contrações, liguei para o medico e ele me disse pra ficar tranquila. Fui para a maternidade às 8hs da manha muito tranquila, com dores super suportáveis! Sempre digo que as 10 primeiras horas de trabalho de parto foram tranquilas e suportáveis, mas, as 5 ultimas foram terríveis. Não suportei aquela dor maior, ñ tinha nem 2 dedos de dilatação e já estava implorando por uma anestesia. Ñ tinha mais uma gota do liquido dentro de mim, mas o bebe estava bem! Minha barriga estava resumida a um bebe e só ela estava minúscula, mesmo com 39semanas e 2dias! Quando chegou às 18:47 ouvi o choro mais lindo do mundo meu bebe estava ali, de cesárea, depois de 15 horas de trabalho de parto! Tem uns q acham pouco, mas foi o q suportei. No inicio ficou aquela culpa, por nao ter aguentado mais, porque ouvia e lia pessoas/mulheres q davam a entender q só o parto normal ou natural que seria o certo! Mas não existe o certo, é a mesma coisa que a amamentação, eu amamentei exclusivamente (sem chá, água, ou qq outra coisa) até os 6 meses e amamentei ate um mês atras (1ano e 3meses no total) mas nem por isso sou melhor ou pior mãe do q aquela q não pode ou nao conseguiu amamentar!
    Era isso Carol, beijo grande e boa hora!

    • Joanna, tu foi uma guerreira! A tua cesárea foi necessária, acontece! A gente tem que ter um plano a, um b, um c.. eu acho que por mais que a gente planeje esse momento é difícil que ele aconteça conforme o script. Eu tento manter minha cabeça aberta, com o foco no que quero, claro, mas se eu precisar de uma cesárea sei que só acontecerá porque foi realmente necessária, porque vou ter uma equipe que entende e apoia meus desejos pra esse momento. No fim das contas é isso que importa, ter um parto seguro, com respeito as decisões da mãe. Acho que no mundo materno (e na vida) é isso mesmo, não tem certo ou errado mesmo, temos que seguir nosso instinto, ninguém é mais ou menos mãe. Adorei ler teu relato ❤

      Beijos

    • Mari, adorei ler teu relato! Não vejo a hora de viver esse momento. Obrigada pelas palavras de incentivo e pela visita! Amei teu blog, tô te seguindo. Beijos

  3. Oi Carol!!! Nossa, super me identifiquei com seu relato!!! Comigo aconteceu EXATAMENTE igual: todos chegavam em mim perguntando para quando era, e quando eu explicava que não sabia, que ia aguardar a hora dela querer nascer, que ia fazer um parto natural, as pessoas me olhavam como se eu fosse um ET!!! hehehehehehehehe… Minha pequena nasceu com 40 semanas, na última semana nem na internet eu entrava, de taaaaanta gente perguntando para quando era, ou pior, me aconselhando a fazer cesárea! Eu PIRAVA!!! Fiquei 16hs em trabalho de parto, fui acompanhada por uma doula (o que foi extremamente importante). Foi a experiência mais importante da minha vida! É inexplicável a conexão que a gente tem com o bebê… Hoje nossa Sofia já tem dois anos, já me preparo para uma próxima gestação, e com CERTEZA ABSOLUTA farei outro parto natural!!! Naquele dia, deixei de ser menina e virei MULHER, com M maiúsculo, aliás, M de mãe tbém!!! Bjão e boa hora pra vc!!! Adorei sei blog!!! 🙂

    • Oi Lenara! Não vejo a hora de viver esse momento, com certeza vai ser um divisor de águas na minha vida como mulher. Toda a gravidez já foi enriquecedora nesse sentido, vejo a hora do parto como o fim dessa transição. ❤ Obrigada pelo comentário, foi muito incentivador, espero que você volte sempre. Beijos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s